quarta-feira, 22 de julho de 2009

O fim de um relacionamento



Mesmo que Mude

Ela vai mudar,
Vai gostar de coisas que ele nunca imaginou
Vai ficar feliz de ver que ele também mudou
Pelo jeito não descarta uma nova paixão
Mas espera que ele ligue a qualquer hora

Só pra conversar
E perguntar se é tarde pra ligar
Dizer que pensou nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ela aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou

Ele vai mudar,
Escolher um jeito novo de dizer "alô"
Vai ter medo de que um dia ela vá mudar
Que aprenda a esquecer sua velha paixão
Mas evita ir até o telefone

Para conversar
Pois é muito tarde pra ligar
Tem pensado nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ele aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou

Para conversar
Nunca é muito tarde pra ligar
Ele pensa nela
Ela tem saudade
Mesmo sem ter esquecido que

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ele aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou.

http://www.youtube.com/watch?v=redOxhfenp8

Bidê ou Balde

Composição: Carlinhos Carneiro / Rodrigo Pilla

Trocando em Miúdos

Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim!
O resto é seu

Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças

Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter

Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado

Aliás
Aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu

Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde.

http://www.youtube.com/watch?v=hn4JyodL7K4

Chico Buarque

Composição: Chico Buarque & Francis Hime

Duas belas canções sobre fim de relacionamentos.

- Aquela hora horrorosa de dividir os bens, desde casa, carro até o “Neruda ou o Pinxinguinha”, detalhe que serve também pra quem não juntou os trapos.

- A nova forma de dizer “alô” e de voltar a chamar a pessoa pelo nome (e não mais pelo apelido carinhoso)

- O fim de uma fase, o início e a possibilidade de outras.

E acima de tudo a dor de um luto a ser resignificado. Quem já perdeu um amor sabe do que estou falando.

P.S. Se você não conhece alguma dessas músicas, procure e escute que vale a pena.

2 comentários:

Paula disse...

Obg por sua visita ao meu blog. Fico feliz que tenhas gostados as minhas sugestões de gráficos, em meu outro blog http://descobertasconquistas-paula.blogspot.com/ há mais sugestões, em cada blog consta um album " Sugestões " onde você pode copiar a vontade...
Boa Noite
Bjnhos

Mila McRad disse...

fins sao sempre comecos de um novo ciclo,dividir as coisas eh o que leva lembrancas e sentimentos em objetos.E as mudancas...apesar de tudo ainda existe aquele embrulho na barriga pois nunca deixa de ser amor simplesmente soh se transforma ,muda