sábado, 30 de outubro de 2010

Saudade ( leia-se _ sentindo muita falta de quando o medo era motivo de choro...)

Sabe quando bate àquela saudade, de um tempo que passou, uma cidade, uma pessoa, o sabor de uma fruta, um lugar especial?

Esses dias tenho sentido MUITA, mas MUITA saudade mesmo de uma pessoa. Dá vontade de voltar no tempo e ir lá em Santa Maria (cidade onde morei quando criança).

Chegando lá consigo lembrar de cada detalhe, ela estaria sentada no pátio em sua cadeira preferida, me daria um abraço de um aconchego único, me ofereceria doce de leite que ela fez, nos sentaríamos em volta da mesa da cozinha, não precisaria conversar nada, (talvez contar as novidades, dizer como estava de saúde) ela entendia tudo sem necessidade de palavras, e sentia por mim um amor incondicional.

Esta é saudade de uma grande mulher, minha muitíssimo amada vó, Maria de Nazaré (pra mim vovó Nega), que hoje vive em minhas lembranças e em meu coração.

E quando lembro dela me vêm duas lindas músicas na cabeça:


Poema


Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás


Lady Laura

Tenho às vezes vontade de ser
Novamente um menino
E na hora do meu desespero
Gritar por você
Te pedir que me abrace
E me leve de volta pra casa
E me conte uma história bonita
E me faça dormir
Só queria ouvir sua voz
Me dizendo sorrindo
Aproveite o seu tempo
Você ainda é um menino
Apesar de distância e do tempo
Eu não posso esconder
Tudo isso eu às vezes preciso escutar de você

Lady Laura, me leve pra casa
Lady Laura, me conta uma história
Lady Laura, me faça dormir
Lady Laura

Quantas vezes me sinto perdido
No meio da noite

Com problemas e angústias

Que só gente grande é que tem

Me afagando os cabelos

Você certamente diria

Amanhã de manhã você vai se sair muito bem

Quando eu era criança
Podia chorar nos seus braços
E ouvir tanta coisa bonita
Na minha aflição
Nos momentos alegres
Sentado ao seu lado, eu sorria
E, nas horas difíceis
Podia apertar sua mão

Tenho às vezes vontade de ser
Novamente um menino
Muito embora você sempre acha que eu ainda sou
Toda vez que eu te abraço e te beijo
Sem nada dizer
Você diz tudo que eu preciso
Escutar de você....

Roberto Carlos

Composição: Roberto Carlos/Erasmo Carlos

9 comentários:

Sentimentalidades-Todas disse...

saudade: prova do qe se viveu...

Lembro da aliança dela que vc voltou pra Belem usando

bjs saudosista!

Eme Fialho disse...

E por falar em saudade, visitando o marcador do meu blog Natal da gratidão senti saudades de sua visitinha.

Vc chegou a ver a homenagem que fiz para vc?

Gostou? espero que sim

Bjus em seu coração.

Franck disse...

Meu nome é saudade, às vezes saudade que nem sei do quê e nem de quem...
Adoro a música cantada pelo Ney...
Bjs e obg pela visita!

So artes disse...

Oi amiga, nossa esses dias escrevi falando de saudade..dói mas é tb a lembrança que fomos felizes!
e olha, faz aula de costura sim..é muito bom :)
beijinhos carinhosos
So

Juleide Martins disse...

Ola Mazane, que texto e poema lindos! Só se tem saudade do que é bom né?! Vi seu post anterior ond vc falava de mudanças, pois bem a vida é assim. Devemos estar preparados...acredite que Deus sempre reserva o melhor para nós. Bjos...não vamos mais sumir hein!

Verônica Alencar disse...

Minha Rimã, q coisa linda!!!!!!!!! Fiquei muito,muito emocionada... eu nunca consegui escrever algo sobre a Vovó pois as lagrimas são inevitáveis... (como agora)
muitos beijosssssssss

Tatá disse...

"saudade é o amor que dói".

Analuz disse...

Que lindo sentimento este o da saudade...

Pode até deixar a gente triste, mas traz alívio também...

Vim agradecer o sorriso deixado no Luz...

Vou sempre esperar por outros, viu? É o que me move aqui na blogsfera...

Abraço iluminado!

Bel - São José dos Campos - SP disse...

OLÁ TEM UM PRESENTINHO NO MEU BLOG PARA VC.


BEIJOS